Vizinhos em polyester

Hi Captain
Acabo de dar com um texto em holandês 
sobre um constructor naval da tua terra, 
embora não frísio (não se pode ter tudo)
A razão deste achado tem a ver com um amigo e colega meu na Sorbonne, Eric R
(Eric foi o orientador da minha tese na dita universidade, um eminente arqueólogo naval) 
a quem pedi para fazer de «actor» no filme que preparo em torno do retorno à ilha Maurícia.
O amigo tem um pequeno veleiro de 20 pés, um Etap 20, de Ericus van de Stadt, 
pelo que prevejo ir ter com ele este verão na Normandia ocidental (Cotentin) 
não para filma-lo de mão na barra do veleiro, 
mas a falar de teoria da arqueologia naval, 
uma maneira de meter Sal e Mar na sala de aula 
e nos livros da minha disciplina
( o tema da «conversa à navegar» vai ser inspirado da tela de fundo da minha tese: Le Bateau Mécanique,
 ou «Como sofrem os navios ao trabalho», 
ce qui en français dà algo como 
«Des souffrances de la poutre-navire à flot».
Conto-te tudo isto por seres marinheiro da frota frísia 
e qualquer comentar teu acerca do dito arquitecto naval não-frísio, 
seja técnico ou pessoal, interessa-me para o filme 
(deves ter adivinhado que estou na fase de «colheta indiscriminado», 
como o pintor no momento de compilar as cores da paleta, …semanas antes de pintar).
Um abraço aos dois,
Jean-Yves

Bonjour Jean Yves,
Peço desculpa pelo atraso. Muitas coisas para fazer e pouco tempo para fazê-las.
Muito interessante, este artigo sobre Ericus “Ricus” van de Stadt. Nasceu numa parte dos Países Baixos que ainda hoje se chama West-Friesland (Frísia Ocidental). Tome e embrulhe!
Eu sabia que foi o criador do Randmeer, um veleiro aberto. A Varianta, mais tarde, foi considerada como um Randmeer+camarote. Não sabia que igualmente foi o criador do ETAP, veleiro construído na Bélgica. Há muito coisa que eu não sabia, como vais ver…
O teu amigo deve ser um pequeno amigo, que um ETAP 20 tem apenas 6 metros. ETAP 20 – Wikipedia  Tive um Victoire 25 (7,5m), chamado Le Pinçon, em Frísia quando saí do país e esse era pequeno demais para mim. Vim para cá na minha Ítaca, um Koopmans 38 (Dick Koopmans sr. é outro criador de veleiros famoso dos Países Baixos, que por acaso nasceu no mesmo ano que o amor da minha vida). 
Não sabia também não que Van de Stadt foi o criador do 16-kwadraat (tamanho do velo), que foi popularmente conhecido como ‘Vergrote BM-er’ (BM = Bergumermeer, um lago em Frísia). Que vergonha! Que os meus irmãos e eu tinham um 16-kwadraat, quando eramos putos. Se calhar na altura não estivemos muito interessados no progenitor do então amor da nossa vida, chamado Desire (nome dum álbum do Bob Dylan).
Também não sabia que o Van de Stadt foi o criador do Valk (holandês para falcão). Fui instrutor numa escola de vela em Frísia que tinha uma frota de Falcões. Santa ignorância! Parece que Van de Stadt numa maneira ou outra estava responsável por todos os veleiros populares. 
Agora já deves ter percebido que o meu conhecimento sobre o assunto é bastante reduzido. Que vergonha!
Um forte abraço e muita sorte com o teu projeto!
Jaap 
(40 graus em Pomarão)

Boa tarde Almirante
A tua modestia é proporcional ao teu tamanho. 
Dito isso estou espantado de ver o leque da tua sabedoria na qual os buracos negros fazem figura de pixeis. 
Mas o melhor é ver a relação entre Ericus Van de Stadt e a Frísia. 
O amigo Eric vai gostar de saber disso quando eu for velejar no Etap dele algures ao largo do Cotentin este verão.
Um abraço aos dois
Jean-Yves

You may also like...